Feeds:
Posts
Comentários

Posts Tagged ‘nando reis’

n

Espero que o tempo passe
Espero que a semana acabe
Pra que eu possa te ver de novo

Espero que o tempo voe
Para que você retorne
Pra que eu possa te abraçar
E te beijar
De novo

.Nando Reis.

Read Full Post »

hi, dri

♪ Enquanto houver luz,
os meus olhos não vão parar de procurar os olhos seus ♪

.Nando Reis.

Read Full Post »

Read Full Post »

Read Full Post »

♪ Eu só queria que você cuidasse
Um pouco mais de mim como eu cuido de você
Cuidar é simplesmente olhar pro mundo que você não vê
Pra medir o amor não existe cálculo
1+1 pode não ser 2
Futuro é linda paisagem
Desejo que não é sonho é mera ilusão
Se não sabe, se afasta de mim
Mas se ainda cabe
Me abrace, enfim
Só ligue se tiver vontade
Só venha se quiser me ver
Mentir é pura vaidade
De quem precisa se esconder
Será que eu vejo apenas o que você não vê?
Eu não entendo como você não consegue perceber?
que eu não sei mais, eu não sei mais, eu não sei
O sangue é o rio que irriga a carne
E a alma é a terra de um morro
é luz antiga o fim da tarde
dessa saudade sem socorro
Se não sabe, se afaste de mim
Mas antes que seja tarde
Nos salve do fim ♪

.Nando Reis.

Read Full Post »

♪ A gente não percebe o amor
Que se perde aos poucos sem virar carinho.
Guardar lá dentro amor não impede
Que ele empedre, mesmo crendo-se infinito.
Tornar o amor real é expulsá-lo de você
Pra que ele possa ser de alguém! ♪

.Nando Reis.

Read Full Post »

sabe o que me dói mais? é saber que o outro também se foi, e eu não senti o mesmo. não feriu tanto. talvez, por minha idade na época. talvez, por falta de vínculo. mas nunca talvez pela falta de amor! sei que mesmo distante o amor existia. e ainda existe aqui dentro. guardado. só para ele.

.Juliane Garcia

♪ Estou aqui, estou aqui, fiquei aqui
Você não está, você não está, não está mais
Eu quero te ver, quero te ver, para te ver
É preciso sonhar. ♪

Read Full Post »

Sentada naquela velha cadeira de balanço, ouvindo os ruídos de seu movimento, apertava forte contra o peito um pequeno pedaço de pano – como se quisesse chegar a tocar o próprio coração. Segurar esse pano, um lenço que pertenceu a ele, era a forma que encontrava para folhear o passado. Era a forma de ter a memória dele em suas mãos. como se pudesse mudar o destino. Pensava. Pensava no já passado que ele não pôde ver e no futuro que ele não verá. Não viu e não verá. Mas certemente participará. Sim, participará. Ele está dentro dela. Está sempre com ela. Ela o sente.

Ela sou eu. Ele é meu querido. Meu velho. Meu avô.

Quando dei por mim, lágrimas já rolavam, formando seus finos lagos em meu rosto. Os soluços, esses traiçoeiros, já se espalhavm pelo meu corpo todo.
Acho melhor terminar por aqui. Com muito amor.

.Juliane Garcia

♪ Eu não posso entender
Essa vida tão injusta
Não vou fingir que já parou de doer
Mas um dia isso vai acabar
Eu não consigo me convencer
Que essa vida não foi injusta
Tanta falta me faz você
Queria ver você lá em casa ♪

Read Full Post »

%d blogueiros gostam disto: